FUNDAÇÃO PANAMÁ

panama-fundação

A Fundação de Interesse Privado do Panamá tem um fundador, um conselho, um protetor e beneficiários. A seguir, explicamos o papel que cada um deles desempenha na Fundação do Panamá:

Fundador: O Fundador é a pessoa ou entidade que estabelece a Fundação Panamá no Registro Público do Panamá. Nosso escritório de advocacia é geralmente o Fundador de cada Fundação do Panamá que estabelecemos, pois é o nosso escritório de advocacia que vai ao registro público para incorporar a Fundação. O Fundador não tem influência sobre o controle da Fundação do Panamá e só é reconhecido como a pessoa que apresentou os artigos da Fundação do Panamá no registro público quando a entidade foi originalmente registrada.

Conselho: O Conselho da Fundação do Panamá tem o mesmo propósito que a diretoria de uma empresa. Os membros do conselho são registrados no registro público com seus nomes, endereços e identificações como membros do conselho da Fundação. Nossa empresa geralmente nomeia um “Conselho da Fundação de Nomeados” para preencher os cargos do conselho, de modo a fornecer privacidade e confidencialidade adicionais para nossos clientes. Quando nomeamos um conselho de nomeados, fornecemos ao nosso cliente cartas de demissão pré-assinadas e sem data de cada membro do conselho de nomeados para que o nosso cliente possa substituir o conselho a qualquer momento. O conselho de nomeados não tem controle sobre a Fundação ou qualquer um de seus ativos, eles estão lá apenas para preencher as lacunas no registro público.

Protetor: O Protetor é a pessoa ou entidade que controla a Fundação do Panamá e todos os ativos mantidos dentro dela. O Protetor é nomeado pelo Conselho da Fundação do Panamá quando a Fundação do Panamá é criada, no entanto, uma vez que o Protetor seja habilitado, o Protetor pode então remover os membros do conselho a qualquer momento sem o consentimento de qualquer outra pessoa. O Protetor pode ser nomeado privadamente, por meio de um Documento de Protetorado Privado, assinado pelo Conselho da Fundação do Panamá. Conseqüentemente, o Protetor pode manter esta posição livre do conhecimento público.

Geralmente nomeamos nosso cliente como Protetor da Fundação do Panamá, por meio de um Documento de Protetorado Privado autenticado, de forma que nosso cliente mantenha o controle total sobre a Fundação, de forma privada e anônima. Uma vez que o Protetor é nomeado, ele sempre pode ser mudado de acordo com os desejos do Protetor. No entanto, um Protetor não é necessário e se você preferir, você pode escolher não usar um Protetor ou usar um Protetor nomeado

Beneficiários: Ao contrário de uma empresa que emite certificados de ações para certificar quem são os proprietários, a Fundação de Interesse Privado do Panamá não tem proprietários, mas sim beneficiários. Os Beneficiários da Fundação do Panamá são nomeados pelo Protetor por meio de uma Carta de Desejos simples, escrita em particular, ou por meio de um conjunto mais formal de Estatutos da Fundação (os Estatutos da Fundação devem ser redigidos com a assistência de um Procurador do Panamá) De qualquer forma, a privacidade e a confidencialidade dos beneficiários podem ser protegidas por meio de sua indicação na Carta de Desejos, ou Estatuto Social da Fundação, uma vez que o conteúdo da Carta de Desejos ou Estatuto da Fundação pode permanecer privado e só precisa ser conhecido às partes interessadas. Além disso, pode-se constituir uma Fundação do Panamá para que o Protetor seja o único beneficiário até sua morte, momento em que a fundação continua em benefício de outros beneficiários.

Carta de desejos:A Carta de Desejos é uma carta simples, escrita pelo Protetor, que especifica exatamente como os ativos da Fundação do Panamá devem ser manuseados ou distribuídos em um evento desencadeante, como a morte ou incapacidade do Protetor. A Carta de Desejos também deve indicar se a Fundação do Panamá deve continuar existindo, e ter um novo Protetor nomeado, ou se a Fundação do Panamá deve ser dissolvida com a morte do Protetor. Não existe um formato específico para a redação da Carta de Desejos, podendo ser redigida ou alterada a qualquer momento após a incorporação da Fundação, conforme a vontade do Protetor. A Carta de Desejos pode ser mantida em particular ou pode ser registrada publicamente. Geralmente, a maioria das pessoas prefere manter a Carta de Desejos em particular, para que os Beneficiários e o Protetor permaneçam anônimos e privados.

Estatuto da Fundação:A Fundação do Panamá não precisa ter Estatuto Social, pois uma Carta de Desejos é legalmente suficiente para expressar as instruções testamentárias solicitadas pelos Protetores. No entanto, se alguém deseja ter um documento testamentário da Fundação mais formal, escrito e assinado por um procurador panamenho e autenticado por um notário panamenho, pode-se solicitar a assistência de um advogado panamenho para redigir o Estatuto da Fundação. 

Estatutos da Fundação

Os Estatutos da Fundação tratam essencialmente da mesma função que uma Carta de Desejos, uma vez que os Estatutos da Fundação devem especificar exatamente como os ativos da Fundação devem ser tratados ou distribuídos em um evento desencadeante, como a morte ou incapacidade do Protetor. O Estatuto Social também deve estabelecer se a Fundação do Panamá deve continuar existindo, e ter um novo Protetor nomeado, ou se a Fundação do Panamá for dissolvida após o (s) evento (s) desencadeante (s) especificado (s). Existe um formato específico de redação do Estatuto Social da Fundação, mas o conteúdo do Estatuto Social pode ser alterado a qualquer momento após a incorporação da Fundação Panamá, conforme a vontade do Protetor. Os Estatutos da Fundação podem ser privados ou podem ser registrados publicamente. Geralmente, a maioria das pessoas prefere manter o Estatuto Social em particular, de modo que os Beneficiários e o Protetor permaneçam anônimos e privados.

Open chat
Olá!
Em que podemos ajudar?